Logotipo WebingPro.
Menu
Background Image
Voltar para a página anterior

6 Passos simples para
um projeto de sucesso

Postado por João Paulo Villa Mello em 29/10/2014 às 06:06

Background Image

1) Um bom projeto começa com uma boa ideia!

Acho engraçado o fato de toda fez que eu falo isso as pessoas me respondem da mesma forma (sério, poucas foram as pessoas que não me responderam assim)

“Mas João, nem toda ideia é boa”

Ai é que vocês se enganam, em partes. Realmente, nem toda ideia é boa, mas muito pelo fato de que todo mundo acha que a Netflix, a Amazon, o própro Google, a Apple ou até então o Facebook, foram ideias que vieram na cabeça de seus fundadores de uma hora pra outra.

Muito pelo contrário, a ideia, quando ela vem na nossa cabeça, quase sempre não é “boa”, ela precisa ser trabalhada, elaborada e parafraseando o Fábio Porchat em um vídeo do Porta dos Fundos hahaha

“A ideia é uma coisa que vem toda troxa, ai a gente elabora, a gente lapida e ela vira um diamantezinho, então segura essa ideia”

Ou seja, segura essa ideia e vamos trabalhar em cima dela. Mas você deve estar se perguntando o que eu estou querendo dizer com tudo isso.

É simples, muitas vezes eu vejo pessoas falando “Cara, a ideia do cliente é muito ruim”, ok a ideia dele é muito ruim, mas o que você está fazendo para mudar isso?

Eu sempre digo que para fazermos algo muito bem, nós precisamos acreditar naquilo que vamos fazer. Ou seja, se você achar a ideia do seu cliente ruim e mesmo assim prosseguir com o projeto, ele não vai ser um projeto de sucesso, por que você nunca vai dar 100% em algo que você não acredita.

Aqui na WebingPro a gente sempre senta com o cliente para entender o objetivo dele e ouvir as ideias dele. Enquanto vamos anotando todas as ideas e entendendo o objetivo final, além de darmos as nossas sugestões, vamos anotando tudo.

Mais tarde, temos uma reunião de brainstorming e procuramos juntar as nossas ideias com as ideias do cliente, sempre mostrando que temos algo em comum: o mesmo objetivo final.

Parece utópico “convencer o cliente”, mas acredite, não é. Se você tiver bons argumentos, você convence, afinal, quem não quer fazer, sempre, algo melhor?

Então, lembre-se, nenhuma ideia é ruim, só, talvez, não esteja muito bem elaborada. Trabalhe em cima disso, com novas possibilidades para aquela ideia e busque agregar valor ao projeto ao invés de ficar sentado reclamando 🙂

 

2) Atendimento – Entendendo para Atender

Vocês não tem ideia da diferença que um bom atendimento faz em um projeto e, sejamos honestos, não é só em um projeto, é em qualquer momento, em qualquer lugar. Hoje em dias as pessoas já disseram que estão dispostas a pagar mais para serem melhor atendidas.

Não é porque o seu cliente gasta muito ou não com você que você deve dar um atendimento mais qualificado ou não, muito pelo contrário, todos merecem o mesmo atendimento, um atendimento de qualidade!

Mas para atender bem o seu cliente você precisa entender ele, a ideia dele e o que ele quer e espera de você.

O melhor jeito para fazer isso são reuniões antes e durante o projeto. Controle a expectativa dele, não deixe ele esperar de mais ou de menos de você, apenas, deixe ele esperando, assim, toda vez, ele será surpreendido 🙂

Enquanto você não entender quem é o seu cliente e não se colocar no lugar dele, você não vai conseguir fazer um bom atendimento. E não me venha com essa de que “o cliente sempre tem razão” por que não tem, assim como você também não está sempre certo sobre o projeto.

Converse sempre com o seu cliente, veja como ele se comporta em diversos ambientes, como ele negocia com você, como é o tom dos e-mails dele, conheça-o.

O segredo também de um bom atendimento é a antecipação. Se você sabe que o seu cliente vai querer algo, não espere ele pedir, faça!

No geral, dê a atenção necessária, converse com ele ao longo do projeto, não fique nessa de “Estou enviando nossa parte, aguardo sua parte”. Não! Teve alguma ideia bacana no meio do projeto? Liga pra ele! Manda e-mail, sei lá, mas converse com ele, não fique atrás do balcão, fique fora dele e fique ao lado do seu cliente!

 

3) Um briefing bem elaborado

Antes de falarmos sobre, vamos a definição de Briefing (Retirado do Wikipédia)

“Brief (eng) = Dossiê. O briefing ou brífingue1 é um conjunto de informações, uma coleta de dados passadas em uma reunião para o desenvolvimento de um trabalho, documento, sendo muito utilizadas em Administração, Relações Públicas, Design e na Publicidade. O briefing deve criar um roteiro de ação para criar a solução que o cliente procura, é como mapear o problema, e com estas pistas, ter idéias para criar soluções”

Basicamente, reunir todas as informações necessárias ao projeto, para que se chegue na solução proposta.

Existem mil formas de se fazer um briefing, eu procuro deixar ele bem aberto, porém, bem específico. (Cuma? hahaha já vou exemplificar)

Algumas páginas nós conseguimos dizer o que vai ter nela antes de fazermos o Wireframe do projeto (Sim, é importante fazer um Wireframe em todos os projetos! Eu mesmo explico isso nesse post aqui).

Como por exemplo, quase sempre conseguimos saber o que vai ter na página inicial de um site institucional antes de chegarmos na etapa de prototipagem. Ai, o briefing fica mais ou menos assim:

  • Página inicial: Página com banner contendo as principais novidades/chamadas. 3 principais produtos da empresa. Área com os últimos depoimentos e rodapé.
  • Página do produto: Página com descrição do produto, além de galeria de imagens e formulário para solicitar orçamento. Será possível também exibir depoimentos de clientes que compraram aquele produto.

Vamos analisar esse caso acima, o briefing ficou bem aberto, afinal, eu não falo como as coisas precisam estar, a ordem delas, só especifico que elas tem que estar lá e, em alguns casos, deixo aberta a possibilidade de existir ou não. Como vamos dispor esses elementos, ai fica pra etapa de Arquitetura da Informação 🙂

Nos casos que não sabemos o que teremos em cada página, por exemplo, em um sistema que deverá cadastrar clientes, projetos e suas empresas, para gerenciarmos todos os clientes e seus dados. (Basicamente um CRM)

Eu não tenho como saber como serão as páginas desse sistema antes de fazer um wireframe, nesse caso, nós escrevemos os módulos dentro do briefing, ai ficaria algo mais ou menos assim:

  • Módulo clientes: Cadastro do cliente com dados necessários (a serem definidos no wireframe). O módulo permitirá o cadastro, alteração e exclusão de clientes, bem como vinculação com uma empresa. Será possível também pesquisar os usuários por nome, empresa, departamento e aniversários.
  • Módulo de empresas: Cadastro de empresas com dados necessários (a serem definidos no wireframe). A empresa é, hierarquiamente, o item principal. Ela agrupará usuários e projetos.

Ou seja, eu descrevi as funções principais de cada módulo e o meu Briefing continua tão completo quanto o anterior, que era mais específico.

Agora que sabemos isso tudo e já vimos exemplos de briefings, qual a real importância do briefing?

Um briefing bem feito alinha todos os pontos do projeto e faz com que, mais para frente, não existam divergências entre o que você entendeu e o que o seu cliente queria.

Isso protege ambas as partes, assim o seu cliente não pode, no meio do caminho, mudar totalmente de ideia e dizer que ele queria de um jeito que não foi feito e você não pode deixar de entregar o que foi combinado para o seu cliente. Afinal, tudo foi previamente combinado e aceito por ambos (Sim, assinem o briefing!)

Lembre-se que um bom briefing deve sempre ser acompanhado de um bom contrato! Mas esse é assunto para um outro (e futuro) post 🙂

 

4) Aproxime-se do cliente e aproxime-o do projeto

Ah, chegamos em um ponto muito importante do nosso post e que, eu particularmente, acredito ser uma das coisas mais importantes para um projeto de sucesso.

Eu vejo muito hoje em dia as pessoas fazendo exatamente o que eu disse mais acima, se colocando atrás do balcão e deixando o cliente esperando na frente do balcão!

NÃO CARA! Não faz assim 🙁 Por que, enquanto você faz o seu projeto, você não pode colocar o cliente pra dentro do balcão? Mostra pra ele o que você está fazendo, quando, como, por quê!

Recentemente eu fiquei sabendo de um Delivery de Sushi que o cara tem uma câmera dentro da cozinha pra você acompanhar o seu pedido sendo feito. É o https://www.kimitachi.com.br/

Ele é um pouco mais caro, mas todo mundo pede lá pela experiência que ele te proporciona e isso virou um argumento das pessoas “Ah, é mais caro mas lá eu posso acompanhar meu pedido e ver a cozinha” (além de outros argumentos que as pessoas usam).

Eu já ouvi gente indicar a WebingPro não só pelos nossos trabalhos, mas por como a gente trabalha e, poxa, isso é uma das coisas mais gratificantes que podemos ouvir.

Então, sai dessa coisa blocada e engessada de que o cliente só sabe o que está acontecendo quando você tem que mandar algo pra aprovação.

Lembre-se o seu cliente não está em um pedestal, muito menos você! Os são dois estão trabalhando juntos por um mesmo propósito 😉

5) Cumpra os prazos!

Passe um prazo e cumpra-o! Pelo bem da nossa área e da nossa profissão. A quantidade de pessoas que eu conheço que já tiveram uma experiência ruim com uma agência ou um freelancer é incrível de grande!

Eu falei sobre prazos e como cumpir todos eles em um post muito legal sobre produtividade, que você pode ler clicando aqui.

Mas voltando aqui, se você não tem certeza de quanto tempo vai levar para fazer alguma coisa, passe mais prazo ou pesquise até ter certeza sobre aquilo.

Na pior das hipóteses não faça! Eu sei que é ruim/triste mas é melhor assim, você vai se mostrar uma pessoa honesta e com certeza vão encontrar uma solução para isso. Mas é muito melhor do que prometer, junto com todo o projeto, para x dias e não conseguir entregar e se perder todo no meio do seu prazo.

Então, lembre-se, sempre coloque uma “gordurinha” em cima daquilo que você sabe fazer e não prometa nada que não sabe fazer 🙂 Seja sempre honesto com seu cliente! Uma parceria que começa com uma “mentirinha” está fadada ao fracasso!

 

6) Pós Projeto – Análises e melhorias

Por melhor e mais perfeito que seu projeto seja ou esteja, ele não vai ficar/ser assim para sempre, afinal, o digital (e o mundo) evolui muito rápido hoje e nem sempre, quando você fez o projeto, você chegou no melhor resultado.

O ideal é, através de diversas ferramentas, analisar o seu usuário e como ele se comporta dentro do seu ambiente para, então, melhorar o mesmo cada vez mais!

Um belo exemplo? Globo.com acho que não fica 1 mês com tudo 100% igual, sempre tem uma pequena ou grande mudança, sempre tem teste A/B e diversas outras coisas. Não é atoa que é o melhor portal de notícias do Brasil 🙂

Tem um post aqui no blog que a gente falou sobre o MixPanel, uma excelente ferramenta onde você pode dissecar o comportamento do usuário dentro do seu site. Você pode ler ele clicando aqui.

 

Conclusão

Bom, vamos dar uma passada por cima agora de tudo o que vimos:

  1. Nunca se esqueça, não existem más ideias. Elas só precisam ser elaboradas e bem pensadas! Se fosse fácil, todo mundo tinha um projeto de sucesso! 😉
  2. Entenda as necessidades do seu cliente e saiba o que ele espera de você, controle sempre a expectativa dele e, o mais importante, conheça-o! Converse com ele, saiba quem ele é! Lembre-se também da antecipação, se você sabe que ele vai querer algo, não espere ele pedir!
  3. Elabore um briefing que não de margem para más interpretações, deixe bem claro o caminho que vocês irão trilhar para chegar no objetivo comum do projeto.
  4. Não fique de um lado do balcão enquanto o seu cliente fica do outro, traga-o para dentro! Aproxime-o do projeto dele, converse, mostre o que você está fazendo, como, porque e quando! Isso faz muita diferença.
  5. Não prometa nada que você não pode entregar, seja honesto com o seu cliente e cheguem, juntos, em uma solução comum! Aumente um pouco o seu prazo total também (colocando uma gordurinha).
  6. O projeto não termina quando ele é publicado, na verdade, ali é só o começo dele! Faça análises contínuas para sempre melhorar o projeto.

Mais uma vez, agradeço pelo seu tempo e pela sua leitura! Qualquer dúvida, sugestão, crítica ou comentário que você queira fazer, é só deixar seu comentário ai embaixo que terei o prazer de conversar com você 🙂

Abraços!

Conheça o autor do post

João Paulo Villa Mello:
Notice: the_author_description está obsoleto desde a versão 2.8.0! Use the_author_meta('description') em seu lugar. in /home/webingpro/www/blog/wp-includes/functions.php on line 3844
Falar de si próprio é sempre complicado, né? Mas vamos lá... Viajante nas horas vagas, fascinado pelo mundo e louco para conhecer a Austrália. Sou um cara persistente, sonhador e apaixonado pelo meu trabalho. Por ser designer, sempre fui muito criativo e sempre tive uma imaginação muito fértil, é comum me ver em outro mundo :) Sou desde pequeno apaixonado por design, onde conheci toda a parte de ux, ai e o marketing digital, o qual tenho o prazer de respirar todos os dias <3